Atenção. Seu browser não suporta JavaScript!
Acompanhe ao Vivo
Cidadania Web Mail Intranet

Notícias

15/02/2021 - 20:34:00

Prefeitura destinou R$ 8 milhões para retomada das aulas presenciais

email
1

Cerca de R$ 8,3 milhões foram destinados pela Prefeitura de Londrina à aquisição de insumos e materiais pedagógicos para uma futura retomada das aulas presenciais nas escolas municipais em período de pandemia do novo coronavírus. Embora a data do retorno e as condições que permitirão a volta não estejam definidas, a secretária municipal de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes, afirmou que as escolas estão prontas e que, após o aval da Administração Municipal, serão necessários dez dias para colocar as instituições em funcionamento. Maria Tereza participou, na tarde desta segunda-feira (15), de reunião agendada pela Comissão de Administração, Serviços Públicos e Fiscalização da Câmara de Londrina para debater o plano de retorno na rede municipal. A reunião contou também com a presença de vereadores das comissões de Educação, Cultura e Desporto; de Seguridade Social; e de Defesa dos Direitos do Nascituro, da Criança, do Adolescente e da Juventude; além de representantes do Movimento Mães e Pais pela Educação.


Segundo Maria Tereza, os valores foram destinados à compra de álcool em gel, termômetros, tapetes sanitizantes, máscaras, face shield, entre outros objetos. O plano de retorno inclui o fornecimento de ao menos cinco máscaras de pano para cada aluno, o uso de embalagens individuais descartáveis para servir a merenda, sacos plásticos para embalar talheres e o revezamento dos estudantes nas aulas presenciais, para garantir o distanciamento entre eles. O modelo será híbrido, com aulas on-line e presenciais. "Parte das crianças vai em uma semana e na outra esses alunos ficam em casa, em um revezamento semanal. Cerca de 20% dos professores se declararam do grupo de risco, por isso teremos professores trabalhando no remoto e professores no presencial. Os professores com comorbidades permanecerão no remoto", afirmou. De acordo com a secretária, o plano de retorno inclui não apenas protocolos de biossegurança, mas procedimentos pedagógicos e de atendimento a aspectos socioemocionais.


Questionada pela vereadora Prof. Sônia Gimenez (PSB) e pelo vereador Eduardo Tominaga (DEM), ambos da Comissão de Educação, sobre os impactos da pandemia no sistema público de educação, Maria Tereza informou que cerca de 1,1 mil estudantes migraram da rede privada para a rede municipal de educação entre o ano passado e o início deste ano. O incremento levou a secretaria a reorganizar os espaços de ensino. "Durante o ano passado, tivemos pouco mais de 600 matrículas de alunos que migraram da rede privada para a municipal. Esse número não é impactante, diante do número de escolas municipais (45 mil alunos, em cerca de 120 escolas). No começo deste ano, pouco mais de 500 alunos vieram da rede privada. Nós reacomodamos as turmas", afirmou. De acordo com ela, houve grande procura por vagas na região central de Londrina e, para atender a esses alunos, a Prefeitura abriu sete turmas no prédio do Colégio Estadual Vicente Rijo, em espaço cedido pelo governo do estado.


Membro da Comissão de Administração, o vereador Madureira (PTB) perguntou à secretária de Educação em que momento e situação o Município autorizará o retorno híbrido. O questionamento também foi feito por Hylea Ferreira e Melina Caldani, do Movimento Mães e Pais pela Educação. Segundo Maria Tereza, a decisão cabe à Secretaria de Saúde. Ainda em relação a esse assunto, a vereadora Lenir de Assis (PT) indagou quem compõe a equipe que avalia o retorno ou não às aulas presenciais. "Essa questão técnica é responsabilidade da Secretaria de Saúde. […] Tenho feito minha parte, de preparar as escolas. Esse é o ponto mais importante", disse.


A vereadora Prof. Flávia Cabral (PTB), presidente da Comissão de Educação, relatou a preocupação de mães com o plano de revezamento nas aulas presenciais, já que as famílias não poderão contar com o apoio da escola todos os dias. Segundo Maria Tereza, existe um olhar para essa situação, mas ainda será preciso desenvolver uma estratégia para acolher as famílias que mais precisam e os alunos com mais dificuldades de aprendizagem.



Presidente da Comissão de Administração, o vereador Matheus Thum (PP) considerou a reunião fundamental para esclarecer os parlamentares e a população, diante de inúmeras informações equivocadas sobre o assunto que são compartilhadas pela internet. "Para mim essa explicação foi primordial, para esclarecimento da situação das escolas municipais", disse. Também participaram da reunião os vereadores Giovani Matos (PSC), Jairo Tamura (PL), Jessicão (PP) e Mara Boca Aberta (Pros).



CÂMARA MUNICIPAL DE LONDRINA ASCOM JORNALISMO E-mail: imprensa@cml.pr.gov.br Redação Marcela Campos MTB 6.229 PR


Galeria de Imagens

Enviar Notícia

Brasão da Câmara Municipal de Londrina
CÂMARA MUNICIPAL DE LONDRINA
Rua Gov. Parigot de Souza, 145
Caiçaras Londrina / PR - 86015-903
PABX
(43) 3374-1300